Escolha uma Página

BIANCA BIBIANO – REVISTA VEJA – 01/02/2015 – SÃO PAULO, SP

Entrevista de emprego em inglês é um dos principais motivos de tensão entre os candidatos à procura de uma vaga no mercado de trabalho. E mentir — ou exagerar, vá lá —sobre a fluência do idioma no currículo pode ser ainda pior para o profissional. Segundo pesquisa do site Vagas.com, a prática é bastante comum. O levantamento aponta que apenas 36% das pessoas que afirmam ter nível de inglês avançado ou fluente no currículo conseguem, de fato, se comunicar bem no idioma. `O número revela que há um critério subjetivo dos candidatos a respeito de seus próprios conhecimentos. Muitos se consideram fluentes por dominar leitura e escrita, mas falham na comunicação verbal`, explica Rafael Urbano, consultor do Vagas.com.

Segundo Urbano, essa autoavaliação equivocada prejudica o profissional que está pleiteando uma nova posição no mercado de trabalho. `Para se submeter ao desafio de uma entrevista em outra língua, é necessário ter capacidade de sustentar uma conversa profissional. Muitos candidatos não se preparam adequadamente para isso e acabam perdendo a vaga.`

A pedido de VEJA.com, as professoras Camila Barbosa, fundadora da escola Evolve Languages, especializada no ensino de inglês para negócios, e Susanna Zaraysky, docente que atende profissionais do Vale do Silício, na Califórnia, Estados Unidos, elaboraram um guia para ajudar quem precisa passar por uma entrevista em inglês.

nível básico dificilmente conseguirá compreender o entrevistador, principalmente se ele for estrangeiro. Se o gestor precisar repetir todas as perguntas, ficará evidente que o entrevistado não tem bom nível de compreensão do idioma`, alerta.

De acordo com a especialista, a preparação para uma entrevista desse nível deve começar com algumas semanas de antecedência. `O tempo varia de acordo com a fluência de cada pessoa. Se há poucos dias para o treino, recomendo praticar mais a compreensão auditiva e a fala do que regras de gramática, pois, pior do que dar uma resposta com erros gramaticais é não entender a pergunta do entrevistador`, diz.

Mesmo para quem tem conhecimentos razoáveis do idioma, a prática antes da entrevista é essencial. `Até quem é fluente em inglês mostra sinais de nervosismo em encontros profissionais. Treinar ajuda a minimizar essa sensação`, afirma Susanna Zaraysky.

Faça uma autoavaliação

Os especialistas são unânimes: a informação que consta no currículo deve corresponder à realidade. Se você não se comunica bem nesse idioma, não diga que tem nível avançado ou fluente. “Faça uma autoavaliação e pergunte, antes de tudo, se está preparado para o desafio. E seja sincero na resposta`, diz a professora Camila Barbosa. Ela lembra que o nível básico não é suficiente para sustentar uma entrevista no idioma. `É preciso se preparar e avançar mais um nível”, diz.

Nem sempre uma vaga exige inglês fluente. “Em uma multinacional, por exemplo, existem grandes chances de parte do trabalho ser em inglês, o que requer fluência. Por outro lado, algumas empresas podem exigir o idioma, mas não incorporá-lo à rotina. Nesses casos, conhecimentos intermediários podem ser suficientes”, explica.

Pesquise o vocabulário da área de atuação

Conhecer os termos técnicos e jargões utilizados pelos profissionais da área é essencial, afirma Camila Barbosa. `Pesquise o site da empresa na versão em inglês, veja qual a área de atuação e entenda quais termos podem surgir na entrevista.` Para a preparação, a professora sugere podcasts de negócios, que geralmente utilizam a linguagem do ambiente profissional. `Há uma infinidade de opções na internet sobre bussiness english, que podem servir de referência para as respostas durante a entrevista.`

A professora também faz um alerta: `caso não esteja familiarizado com um termo ou não saiba ao certo seu significado, não use`. Tente outra palavra e jamais recorra ao celular para traduções durante a entrevista.

Prepare os ouvidos

De acordo com a professora Susanna Zaraysky, o principal problema dos candidatos a uma vaga de emprego é não entender a pergunta feita pelo entrevistador e pedir que ele repita a questão inúmeras vezes. A melhor maneira de se preparar é ouvir músicas e assistir a filmes e noticiários no idioma. “Além de ajudar a memorizar as palavras, a música e os filmes mostram a pronúncia correta das palavras”, explica. Para pessoas com nível intermediário, a legenda em inglês pode ajudar a ampliar o vocabulário. Além disso, a professora recomenda noticiários internacionais, como os produzidos pelo canal americano CNN e o britânico BBC. “Eles ajudam a reconhecer a diferença entre os sotaques e evitar mal-entendidos durante as entrevistas”.

Outra dica de Susanna é identificar as principais dificuldades e treinar esses aspectos específicos. “O uso dos verbos no passado e no presente, por exemplo, confunde quem não é nativo da língua. Músicas e filmes ajudam a identificar a maneira como esses tempos verbais são utilizados”.

Pratique respostas para as perguntas mais comuns

É impossível prever todas as perguntas que serão feitas pelo examinador, mas é possível antecipar algumas questões e se preparar para respondê-las. “Em geral, o entrevistador pergunta sobre atuação profissional, experiências anteriores e conquistas na carreira. Esteja pronto para falar sobre esses tópicos”, afirma Susanna Zaraysky. É imprescindível que o treino seja feito em voz alta, alerta a professora. Grave a fala e ouça em seguida. Outra opção é treinar no espelho ou com um colega. `O importante é exercitar a fala e sentir-se confortável ao ouvir o som da própria voz em outro idioma.`

Confira alguns exemplos de perguntas que podem aparecer nas entrevistas:

– Why do you want to work for us?

– What do you know about our company?

– Why should we hire you?

– Why are you leaving your present job?

– How much do you expect, if we offer this position to you?

– Could you tell me more about your experience and accomplishments?

Fale, fale, fale

Decorar respostas para a entrevista é uma cilada. “A resposta memorizada demonstra insegurança. O profissional também corre o risco de a conversa mudar de tema e ele perder a sequência lógica das frases”, afirma Camila Barbosa. Para evitar esse tipo de constrangimento, a recomendação é elaborar as falas em tópicos e treiná-las durante os dias que antecederem a entrevista. Coloque em uma lista tudo o que deve ser dito no momento da entrevista e tente falar naturalmente sobre esses tópicos. `Exercícios diários ajudam, mudando as sentenças a cada dia. A partir daí, o profissional poderá construir melhor seu discurso – e a fala sairá mais naturalmente quando ele estiver diante do entrevistador”. Essas dicas são importantes até mesmo para quem tem o hábito de ler livros e ver filmes em inglês. Mesmo quem está acostumado com a língua estrangeira pode engasgar. Por isso, insista nos treinos em voz alta.

Esteja pronto para improvisar

A preparação não poderá prever o rumo da conversa. Se entrevista fugir do roteiro, o ideal é manter a calma. “Até os nativos erram. O problema não é errar; o problema é travar e não conseguir prosseguir na resposta`, explica Camila Barbosa. “Respire fundo e continue o raciocínio. O entrevistador não irá considerar como grave um pequeno erro na pronúncia de uma palavra`. Se notar um equívoco gritante, peça desculpas e reformule a frase. Segundo a professora, a preparação é o que vai garantir melhor jogo de cintura para dar respostas que não foram ensaiadas. “O vocabulário adquirido no treino poderá salvar o candidato`.